sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Decidi ser mãe porque...


Antes de engravidar eu observava os filhos dos outros sempre de longe, pois tinha cisma que pais não estaria gostando de ver outras pessoas desconhecidas olhando. Às vezes mexia com elas, mandava um beijo ou piscava escondido. Algumas correspondiam às brincadeiras, outras ficavam quietinhas só me olhando.

Hoje vejo que estava certa com a minha cisma, qual pai ou (principalmente) a mãe gosta de ver outras pessoas olhando para suas crias? Hoje em dia é tão difícil confiar nas pessoas que o nosso instinto de proteção fala mais  alto. Concorda ou não?

Antes de engravidar apesar de gostar de crianças e gostar de pegá-las no colo, sempre procurei manter distância. Não sei porque, mas sempre passou na minha mente que não é toda mãe que gosta de ficar passando seus filhos de mão em mão. Estou certa ou não?  Apesar de eu confessar aqui que sempre fui meio desconfiada.

Também quando as via chorando sabia, ou melhor, tinha certeza de que não seria no meu colo que era ia parar de chorar, e que se estivesse comigo naquele momento, sua mãe pegaria na hora ou então a criança chamaria pela mãe e não vi nada contrário ainda.

E a decisão de ser mãe foi crescendo em mim quando via uma mulher grávida cheia de amor acariciando sua barriga, mesmo reclamando das dores, inchaços, azias e falta de ar, mas existia uma vida ali dentro...uma pessoinha que mudaria sua vida completamente (pelo menos era o que eu imaginava, afinal nunca havia passado por esta experiência).

A minha decisão de ser mãe foi maior quando comecei a imaginar que um dia poderia acariciar minha barriga também, com os sintomas que toda grávida tem. Que um dia fosse olhar para a minha criança e ela pudesse me responder com um sorriso.

A minha decisão explodiu quando realizou um grande sonho meu de ter minha filhota me chamando de mamãe (ou Xú,quando quer fazer gracinha), implorando pelo meu colo, seja por estar chorando, seja por simplesmente querer estar comigo, de olhar nos meus olhos e me dar um abraço bem na goela a ponto de me deixar sem ar.

Pois é, mais um post falando sobre meu amor por ser mãe, já que ela não queria dormir eu acabei deixando-a com o pai para vir correndo aqui fazer mais uma declaração. Ser mãe é querer correr de encontro ao sossego e não conseguir esquecer do que deixou ali no outro cômodo da casa. É parar no meio do caminho, olhar para o sossego de longe e correr de volta para um dos abraços mais gostosos do mundo.

É o que vou fazer agora!

11 comentários:

  1. Ju!
    Ser mãe é tudo isso que você falou e tantas outras coisas, que a gente só descobre com o dia a dia com os nossos pequenos, não é mesmo? Eu a cada dia, me surpreendo com a minha decisão de ter sido mãe de duas crianças lindas!!!

    Parabéns pela linda menina que tem e pela sua dedicação!

    Beijinhos nossos

    ResponderExcluir
  2. Normalmente falamos daquilo que nosso coração está cheio.

    ResponderExcluir
  3. Juliana.. me identifico muito com seus posts! Eu sempre quis ser mãe, mas tem um momento da vida da gente que isso deixa de ser vontade e passa a ser uma necessidade! Adoro quando minha filha olha só para mim, mesmo estando no colo do pai ou de qualquer outra pessoa; adoro quando ela chora pedindo meu colo; não consigo ficar muito tempo longe dela e quando sou obrigada a fazer isso, o rostinho dela fica gravado na minha memória e o coração aperta de vontade e saudade desse olhar e de estar com ela... ser mãe é bom demais né =)
    Ich, Hausafrau
    www.ich-hausfrau.com.br

    ResponderExcluir
  4. Adorei! Fiquei emocionada! Lindo mesmo! Por aqui, eu não decidi ser mãe, aconteceu de surpresa. Mas olhando hoje, não saberia fazer nada melhor. Encontrei um sentido em mim. Ainda bem! Beijos

    ResponderExcluir
  5. A gente sempre fica invadida de amor, não é? Transpira por todos os poros, bons demais!!
    Beijos
    Tati
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  6. É por isso que eu digo que a maternidade é uma DELÍCIA mesmo!
    Lindo post!!!!
    Bjinhuxxx
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  7. Que delicia! Sincero, curto e verdadeiro post. Adorei as palavras e como voce definiu ser mae. Adoro seus textos sua fofa! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Ahh, e realmente. Sou daquelas que brinca com o bebe enquanto o pai ou mae nao olham. Se os pais se mostrarem simpaticos eu sou simpatica. Se os pais mostrarem que nao querem papo dos estranhos loucos por criancas com suas crias. Eu fico caladinha, longe e respeito isso. Hoje que eu me tornei mae, acho super normal as pessoas quererem se aproximar e ver os nossos bebes, porque bebes sao muiiiiito fofos mesmo. Fico sempre com o pe atras. Mas nao deixo de ser simpatica. Deixo que riam para o meu filho, que conversem. Mas nao deixo pegarem no colo e nem se aproximarem demais... hoho

    ResponderExcluir
  9. Oiê... passando pra te deixar um abraço e desejar uma ótima semana
    Ich, Hausfrau
    www.ich-hausfrau.com.br

    ResponderExcluir
  10. @Ich, Hausfrau ownnnn obrigada pelo carinho querida. Desejo também uma ótima semana e tudo de bom sempre! Bjus Ju

    ResponderExcluir
  11. Oi..vim visitar e resolvi comentar...se quiser comentar ou tornar-se seguidora eu retribuirei ;)
    Como e bom ser mae nao eh mesmo ? =D Fiquei feliz com estes pensamentos e texto lindo...Beijo

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar seu comentário, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...