segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Nascemos de novo


É impossível não "nascer de novo" quando temos nosso primeiro filho. Quando saí da maternidade comecei a viajar nos meus pensamentos, não sabia o que sentir. Dentro de mim acontecia tanta coisa que não sabia em quê dar prioridade.

Lembrava do momento que entrei lá pedindo ajuda ao segurança pois estava em trabalho de parto e lá estávamos eu, meu marido, minha mãe e minha Tatá indo embora pra casa. Eram sentimentos misturados de felicidade e medo. Felicidade nem é preciso explicar, pois o nome do blog diz tudo, mas o medo que sentia era da responsabilidade que tinha a partir daquele momento, da vida que estava em minhas mãos.

Eu tive a oportunidade de ter minha mãe por perto durante 10 dias e brinco com ela até hoje que está me devendo mais 30 (pois a mulher no pós-parto fica de "40tena"). Tudo passa a ser novidade, os livros, pesquisas na internet e os fóruns que participava ajudaram muito nessa nova etapa, mas mesmo assim sentir na pele é sempre diferente.

Com a ajuda dela pude ficar mais tranquila, além de ajudar nas tarefas da casa, ela respondia às minhas dúvidas, fazia algo pela primeira vez para eu observar e fazer igual. Chegou até a dormir com a pitica na sala para eu dormir um pouco. Apesar que não adiantava muito pois se ela queria mamar só eu podia resolver o "assunto" de interesse da pequena.

Não liguei em NÃO dar o primeiro banho, e deu certo que o umbigo caiu antes da minha mãe ir embora e me deixar sozinha com a minha filha. Minha mãe é um espetáculo, mas vou deixar isto para um outro post. Quando ela foi embora, pois precisava voltar ao trabalho, chorei muito. Lembro como hoje, a sensação era que eu ia para a escola pela primeira vez e ela me deixaria na porta de entrada. Ah! Durante esse tempo todo e até hoje tenho a ajuda do meu marido também, que no começo dividiu e divide comigo as ansiedades, dúvidas, medos, insônias,etc.

Pois é, nascemos de novo, nascemos com cólicas, choros, fome, trocas de fralda, vômitos, escândalos na hora do banho (era frio na época e minha filha odiava ter que ficar sem roupa). Nascemos de novo para acordarmos de tempo em tempo para ver se a bebê está respirando normalmente, se está bem coberta, se está com frio ou calor, para identificar qualquer barulhinho diferente ou então para simplesmente ficar admirando.

Nascemos de novo para acolhermos em nosso braços durante as cólicas, para fazê-la sentir tranquila e que tudo ia passar. Queríamos fazê-la entender que mesmo saindo do mundinho confortável e tranquilo dentro da barriga da mãe, estaríamos por perto para dar todo amor que precisasse.

Hoje, receber um olhar sapeca dizendo: "mamãe" ou "papai" e ao mesmo tempo agarrando em nosso pescoço para dar um beijo todo "lambrecado" me deixa totalmente sem palavras. A escolha de passar por esta descoberta foi minha, cabe a mim passar pelo conto que nem é tão de fadas assim, só para ver que o amor sempre prevalece.

7 comentários:

  1. É que apesar das dificuldades e lutas o saldo é sempre positivo por conta desses sorrisos e beijos citados no seu post.

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Amei na verdade! Sabe que eu tenho minha mãe pertinho todos os dias porque ainda moro com ela. As responsabilidades, são todas minhas, porque prefiro assim. Não deixo nada com ela. Mas agradeço por ter ela ao meu lado me ajudando diariamente. Me apoiando, me ouvindo, me fazendo companhia. Não sei o que seria de mim. Eu renasci como pessoa após a maternidade e só tenho a agradecer! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei a postagem...minha mãe mora longe e bem longe de mim falo com ela todos os dias pelo telefone mais não a mesma coisa ela estive comigo durante todo o periodo até mesmo na hora do nascimento do renan, ela é tudo para mim e me ajuda muito....beijinhos
    http://anjodmv.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Nossa Ju, os seus posts são tão cheios de sentimentos e amor, que tudo parece se tornar fácil! É lindo!
    Amei amiga, e tenho certeza de que quando a Grazi nascer, além de minha mãe, terei você sempre "on" para me ajudar!

    ResponderExcluir
  5. Ju... lindo o seu post! Me identifiquei muito com ele... não há palavras que explique e nem sentimento que exprima o que é ser mãe e pai... só sei dizer que é muito amor! bjo
    Ich, Hausfrau
    www.ich-hausfrau.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju,

    Ahhh, ser mãe é inexplicável, só entende uma mãe quem tb é mãe!!
    É um amor tão grande q até dói!!
    Amei o post!

    Bjo!

    Loreta#amigacomenta;)
    @bagagemdemae
    www.bagagemdemae.com.br

    ResponderExcluir
  7. É beeemmm por ai mesmo...
    Aprendemos muita coisa nova e não imaginamos o quão intensa é essa nova vida, a maternidade.
    Adorei o post!

    #amigacomenta

    http://www.lookbebe.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar seu comentário, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...